Eu bem querer

No dia 8 de Março, se comemora o dia Internacional das Mulheres. O significado desse dia é muito particular para cada mulher, especialmente no Brasil, onde temas como feminismo que discute igualdade salarial, igualdade de gênero e outros direitos básicos têm tido cada vez mais espaço.

Criamos uma Campanha especial para todas as mulheres e durante esse mês vamos conversar sobre temas muito importantes e bacanas e te convidamos para acompanhar nossas mídias sociais pra não perder nada, combinado?

 

 

“Saber viver é a grande sabedoria.

Que eu possa dignificar minha condição de mulher.

Nasci em tempos rudes, aceitei contradições, lutas e

pedras como lições de vida e delas me sirvo.

Aprendi a viver.”

Cora Coralina

Você está seguro ou segura?

Você já devia saber mas é sempre bom reforçar. Além de ser um momento de carinho e prazer, o ato sexual também é um momento de cuidar da saúde. São vários os cuidados que se precisa tomar para que o #SexoSeguro aconteça  e o preservativo seja usado como método de prevenção contra as doenças sexualmente transmissíveis e a gravidez indesejada.

 

 

No Brasil, temos os exames laboratoriais e os testes rápidos, e ambos podem ser feitos de forma anônima. Os testes rápidos são práticos e de fácil execução, a partir da coleta de uma gota de sangue ou fluido oral, e fornecem o resultado em, no máximo, 30 minutos. Esses testes são realizados nas unidades da rede pública e nos Serviços de Atenção Especializada (SAE) e Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA).

Se por algum motivo você teve relação sexual sem preservativo ou passou por alguma situação de risco, é muito importante fazer a testagem rápida de HIV/Aids, hepatite, sífilis, além de outras IST nas Unidades de Saúde e nos Centros de Testagem, para que você possa iniciar o tratamento o mais rápido possível.

Todos os testes possuem um período denominado “janela diagnóstica”, que corresponde ao tempo entre o contato com o vírus e a detecção do marcador da infecção (antígeno ou anticorpo). Isso quer dizer que, mesmo se a pessoa estiver infectada, o resultado do teste pode dar negativo se ela estiver no período de janela. Dessa forma, nos casos de resultados negativos, e sempre que persistir a suspeita de infecção, o teste deve ser repetido após, pelo menos, 30 dias.

 

 

A camisinha é o método mais eficaz para se prevenir contra as infecções sexualmente transmissíveis, como o HIV/AIDS, alguns tipos de hepatites, e a sífilis, por exemplo. Além disso, evita uma gravidez não planejada.

Preservativos masculinos e gel lubrificante estão à disposição dos cidadãos nos SAE e CTA, organizações de sociedade civil e outros serviços credenciados.

Dados do Ministério da Saúde revelam que os jovens são a faixa etária que menos usam camisinha. No período de 2007 a junho de 2018, no que se refere às faixas etárias, observou-se que a maioria dos casos de infecção pelo HIV encontra-se na faixa de 20 a 34 anos, com percentual de 52,6% dos casos.

Existem dois tipos de camisinha: a masculina, que é feita de látex e deve ser colocada no pênis ereto antes da penetração; e a camisinha feminina, que é feita de latex ou borracha nitrílica e é usada internamente na vagina, podendo ser colocada algumas horas antes da relação sexual, não sendo necessário aguardar a ereção do pênis. Clique aqui e saiba como usá-la. Ambas também funcionam como métodos contraceptivos, evitando uma gravidez não planejada.

 

 

Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) são causadas por vírus, bactérias ou outros microrganismos. São transmitidas, principalmente, por meio do contato sexual (oral, vaginal, anal) sem o uso de preservativo com uma pessoa que esteja infectada. A transmissão de uma IST pode acontecer, ainda, da mãe para a criança durante a gestação, o parto ou a amamentação.

Entenda: o Ministério da Saúde recomenda aos órgãos que trabalham com saúde pública e saúde coletiva o uso da nomenclatura “IST” (infecções sexualmente transmissíveis) no lugar de “DST” (doenças sexualmente transmissíveis). A denominação ‘D’, de ‘DST’, vem de doença, que implica em sintomas e sinais visíveis no organismo do indivíduo. Já as ‘Infecções’ podem ter períodos assintomáticos, ou se mantém assintomáticas durante toda a vida do indivíduo, como são os casos da infecção pelo HPV e o vírus do Herpes, detectadas por meio de exames laboratoriais. O termo IST é mais adequado e já é utilizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Abaixo, confira as páginas com informações sobre cada IST’s:

diagnóstico, por meio dos testes rápidos para HIV/Aids, Sífilis e Hepatites B e C está disponível nos Serviços de Atenção Especializada (SAE) e Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA), e qualquer pessoa pode realizar o exame. Outra maneira de se testar é realizar o teste anti-HIV, através do exame de sangue convencional disponível nas unidades básicas do Estado de Minas Gerais. O tratamento, também disponível no SUS, melhora a qualidade de vida e interrompe a cadeia de transmissão dessas infecções.

É bom repetir, se por algum motivo você teve relação sexual sem preservativo ou passou por alguma situação de risco, é muito importante fazer a testagem rápida de HIV/Aids, hepatite, sífilis, além de outras IST nas Unidades de Saúde e nos Centros de Testagem, para que você possa iniciar o tratamento o mais rápido possível.

 

Cuidar da sua saúde sexual, é cuidar de quem você ama também.

Esta é uma Campanha Nsure Foundation.

Seguro de vida pra quê?

Você provavelmente já se perguntou porque fazer um seguro de vida. E tá tudo bem, como dizem por aí. Vem com a gente que vamos te contar umas coisas que vão te fazer entender que é uma boa ideia!

A cultura do seguro de vida, ainda é muito recente no Brasil. Até temos uma razoável cobertura de seguros patrimoniais, particularmente de veículos, mas a cobertura de seguros de vida ainda é muito baixa.

Segundo um estudo realizado pela seguradora Zurich e pela Universidade de Oxford em 16 países com 18 mil  indivíduos, sendo 1.145 do Brasil, com idades entre 20 e 70 anos, apenas 8% dos entrevistados brasileiros têm seguro de vida, o que leva nosso país à última colocação entre os pesquisados.

Pra você ter uma ideia, o número de indivíduos com seguro de vida é de 35% em Hong-Kong, 31% na Malásia e 30% nos EUA.

Mas foguete não dá ré, como diz o poeta 🚀

 

Felizmente esse mercado está crescendo no Brasil, e cada vez mais nos aproximamos dos padrões internacionais em termos de variedade e sofisticação dos produtos oferecidos.

Acredita que tem gente achando que contratar seguro de vida dá azar? Todo mundo sabe o ciclo natural da vida, mas aqui a gente não vai falar sobre crenças e achismos, mas o que realmente tá em jogo quando falamos sobre proteção pessoal no Brasil.

 

1. Proteção para a família

 

Quando essa história toda começou, o seguro de vida era uma forma de proteger as famílias em caso de falecimento do segurado. Essa função ainda hoje é extremamente importante.

Apesar de ser um assunto delicado, é bastante comum encontrar casais com filhos pequenos que não tenham nenhum seguro de vida e ao serem questionados sobre o que aconteceria com os eles caso um ou os dois provedores viessem a faltar, a resposta quase sempre é “eu não estou planejando morrer”, acompanhada de um sorriso amarelo de quem sabe que está fazendo a coisa errada. É claro que não. Ninguém tá.

A pandemia chegou pra nos mostrar do pior jeito que ninguém está planejando nada de pior então, para quem tem dependentes, o seguro de vida não é opcional, pois deixar quem a gente ama com a garantia de que vão estar estar sempre seguros, não tem preço.

 

2. Planejamento sucessório facilitado

Os seguros evoluíram muito e além da proteção da vida, são muito utilizados hoje para planejamento sucessório, já que os prêmios de seguro são livres dos impostos sobre herança (ITCMD).

Mesmo pessoas que montam estruturas complexas de sucessão, com criação de holdings familiares e fundos de investimentos exclusivos, não deixam de ter seguros de vida.

Até porque o seguro pode ser utilizado como forma de arcar com as despesas de transmissão do patrimônio no momento do inventário.

 

3. Indenização em forma de renda

Outra vantagem dos seguros atuais é que o eventual pagamento da indenização pode vir na forma de renda.

Quem tem filhos pode preferir que eles a tenham até a vida adulta ao invés de liberar todo o valor em uma única parcela. Se existir um filho com deficiência ou se um dos cônjuges não tiver renda, é possível o pagamento de rendas vitalícias.

 

4. Tratamento de doenças graves

Os seguros atuais também podem cobrir diagnósticos e tratamentos de doenças graves, assim como renda pelo período de tratamento ou por invalidez permanente.

Também existem seguros resgatáveis ou que geram garantias vitalícias após o fim do pagamento do prêmio.

Em algumas modalidades, em caso de interrupção do pagamento, o segurado não perde todo o valor pago, apenas tem a redução proporcional do capital segurado. Sabia disso?

 

 

5. Proteção para estrutura de capital das empresas

Outra possibilidade da utilização dos seguros de vida é em estruturas de capital de pessoas jurídicas.

Nessa modalidade, a empresa é a responsável pelo pagamento do seguro e também a beneficiária da apólice.

Ou seja, em caso de falecimento de um dos sócios, o recurso é pago diretamente no caixa da pessoa jurídica e é isento de imposto de renda.

Por exemplo: imagine duas pessoas que formem uma empresa e trabalhem nela. Se, por acaso, um dos dois vier a falecer, nem sempre a família tem preparo ou vontade de entrar na empresa.

Nesse caso, pode-se acordar que o valor do pagamento do seguro se constituiria na venda da participação do sócio faltante.

Esse modelo é extremamente comum em economias mais desenvolvidas e já está devidamente regulamentado no Brasil.

6. Valores compatíveis com o risco

Muita gente acha que o preço dos seguros é alto. Mesmo que na média ele tenha essa fama, ele certamente não chega perto do custo de sinistro sem cobertura dos seguros.

É sempre bom lembrar duas coisas: a vida não tem preço. E seguros têm muitas vantagens, mas a aquisição de um produto desse tipo é uma tarefa que requer um grau de conhecimento elevado.

Por isso, a Nsure tem uma área específica para a comercialização dos seguros. A gente estar do seu lado na escolha do produto ideal para atender suas necessidades.

Nós ouvimos você, avaliamos o mercado e fazemos a melhor proposta para atender aquilo que faz sentido pro seu momento e seu bolso.

Vem tomar um café com a gente e conversar com um dos nossos especialistas. Vamos ajudar na estrutura que garanta uma proteção para você e sua família e lhe dar o melhor produto que o dinheiro pode comprar: tranquilidade para aproveitar a vida.

 

Xô mosquito!

Em meio à pandemia da Covid-19 a Dengue volta a ocupar um lugar de destaque na mídia, já que o Verão voltou e as chuvas avançam em todo o país. O Ministério da Saúde lança então a Campanha “Combata o mosquito todo dia”, com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância de atitudes preventivas contra a proliferação do mosquito aedes aegypti que, além da dengue, transmite os vírus zika e chikungunya.

 

Nossa redação listou 10 dicas de como se cuidar contra a dengue:

1) Tome a vacina – A vacina contra dengue foi criada para prevenir a manifestação do vírus. Vacinas com o vírus atenuado são aquelas que diminuem a periculosidade do vírus, garantindo que ele não cause doenças, mas sejam capazes de gerar resposta imunológica, fazendo com que o organismo da pessoa reconheça o vírus e saiba como atacá-lo quando a pessoa for exposta a sua versão convencional.

2) Evite o acúmulo de água – O mosquito coloca seus ovos em água limpa, mas não necessariamente potável. Por isso é importante jogar fora pneus velhos, virar garrafas com a boca para baixo e, caso o quintal seja propenso à formação de poças, realizar a drenagem do terreno. Também é necessário lavar a vasilha de água do pet regularmente e manter fechadas tampas de caixas d’água e cisternas.

3) Coloque tela nas janelas – Colocar telas em portas e janelas pode ajudar a proteger sua família contra o mosquito da dengue, desde que o criadouro não esteja dentro da residência. Por isso, não se esqueça de que a eliminação dos focos da doença é a maneira mais eficaz de proteção.

4) Coloque areia nos vasos de plantas – O uso de pratos nos vasos de plantas pode gerar acúmulo de água. Há três alternativas: eliminar esse prato, lavá-lo regularmente ou colocar areia. A areia conserva a umidade e ao mesmo tempo evita que e o prato se torne um criadouro de mosquitos.

5) Seja consciente com seu lixo – Não despeje lixo em valas, valetas, margens de córregos e riachos. Assim você garante que eles ficarão desobstruídos, evitando acúmulo e até mesmo enchentes. Em casa, deixe as latas de lixo sempre bem tampadas.

6) Coloque desinfetante nos ralos – Ralos pequenos de cozinhas e banheiros raramente tornam-se foco de dengue devido ao constante uso de produtos químicos, como xampu, sabão e água sanitária. Entretanto, alguns ralos são rasos e conservam água estagnada em seu interior. Nesse caso, o ideal é que ele seja fechado com uma tela ou que seja higienizado com desinfetante regularmente.

7) Limpe as calhas – Grandes reservatórios, como caixas d’água, são os criadouros mais produtivos de dengue, mas as larvas do mosquito podem ser encontradas em pequenas quantidades de água também. Para evitar até essas pequenas poças, calhas e canos devem ser checados todos os meses, pois um leve entupimento pode criar reservatórios ideais para o desenvolvimento do Aedes aegypti.

8) Piscinas e aquários – Piscinas pode se tornar foco de dengue – por isso, a atenção deve ser redobrada com a limpeza em épocas de surto. Já no caso dos aquários, peixes são grandes predadores de formas aquáticas de mosquitos.

9) Uso de inseticidas e larvicidas – Tanto os larvicidas quanto os inseticidas distribuídos aos estados e municípios pela Secretaria de Vigilância em Saúde têm eficácia comprovada, sendo preconizados por um grupo de especialistas da Organização Mundial da Saúde.

*Os larvicidas servem para matar as larvas do mosquito da dengue. São aqueles produtos em pó, ou granulado, que o agente de combate a dengue coloca nos ralos, caixas d’água, enfim, nos lugares onde há água parada que não pode ser eliminada.

*Já os inseticidas são líquidos espalhados pelas máquinas de nebulização, que matam os insetos adultos enquanto estão voando, pela manhã e à tarde, porque o mosquito tem hábitos diurnos. O fumacê, como é chamado, não é aplicado indiscriminadamente, sendo utilizado somente quando existe a transmissão da dengue em surtos ou epidemias. Desse modo, a nebulização pode ser considerada um recurso extremo, porque é utilizada em um momento de alta transmissão, quando as ações preventivas de combate à dengue falharam ou não foram adotadas.

Algumas vezes, os mosquitos e larvas da dengue desenvolvem resistência aos produtos. Sempre que isso é detectado, o produto é imediatamente substituído por outro.

10) Uso de repelente – O uso de repelentes, principalmente em viagens ou em locais com muitos mosquitos, é um método importante para se proteger contra a dengue. Recomenda-se, porém, o uso de produtos industrializados. Os repelentes caseiros, como andiroba, cravo-da-índia, citronela e óleo de soja não possuem grau de repelência forte o suficiente para manter o mosquito longe por muito tempo. Além disso, a duração e a eficácia do produto são temporárias, sendo necessária diversas reaplicações ao longo do dia, o que muitas pessoas não costumam fazer.

 

Se apresentar os sintomas, a orientação é buscar atendimento médico para realizar a avaliação, diagnóstico e tratamento correto. Os profissionais que podem diagnosticar são o médico infectologista e o clínico geral. A automedicação deve ser evitada, pois pode agravar a situação.

Compartilhe as dicas de cuidados com quem você ama.

Cuidar de você é cuidar do coletivo também!

Ano novo, nova meta: “Cuidar de mim”

 

 

Se eu pedisse para ler sua lista de metas e objetivos para esse ano de 2022, encontraria o cuidado com a sua saúde e qualidade de vida?

Não sei como você tem passado esses últimos meses. Espero que bem. Mas sabemos que os momentos turbulentos, inesperados e pandêmicos nos assustaram muito, trouxeram muitas mudanças na rotina das pessoas e afetaram nossas relações. Eu mesma passei por uns bocados, procurei ajuda profissional e estou em tratamento. Por isso a preocupação com o “autocuidado”, aquele mais profundo, é muito importante.

A melhor parte de dar atenção para essa área da vida é que ela não demanda um grande investimento financeiro, mas de tempo. Horas de descanso e lazer têm de ser sagradas, assim como atividades que dão prazer, relaxam nosso corpo, elevam a saúde mental e liberam hormônios do bem estar.

Eu por exemplo, gosto muito de desenhar, dançar e jogar videogame, mas as opções são infinitas.

Veja só: meu companheiro não abre mão dos 10k corridos diariamente, faça chuva ou faça sol; uma amiga querida faz artesanatos e vez ou outra até faz uma graninha extra com isso; os diretores daqui empresa são músicos (um deles é surfista também!); e por aí vai.

Não tem uma receita única e cada um precisa de descobrir do que gosta e o que te faz bem. E, principalmente, reservar tempo para isso.

Algumas dicas importantes e que valem para todo mundo:

  • O contato com a natureza. Estudos científicos já mostraram os benefícios para a nossa saúde mental e física, como regular a pressão arterial, reduzir os índices de açúcar no sangue e diminuir o estresse e a ansiedade quando estamos ao ar livre, rodeado por natureza.
  • Aderir ao tratamento prescrito pelo médico e fazer as consultas e os exames regulares (inclusive os de rastreamento de câncer, como mama e próstata).
  • Lutar contra o sedentarismo, a obesidade e todos os tipos de excessos – de alimentos, bebidas, trabalho, redes sociais e o que você e quem te quer bem identificarem que tem te consumido.

Comece devagar. Se parece muita coisa, vamos voltar alguns passos. Não se estresse e não se cobre tanto. Como dizia o poeta e filósofo: “é devagar, devagarinho”.

 

 

Acima de tudo, te desejo um ano cheio de carinho consigo mesmo/a. Nem sempre os dias serão fáceis. Mas saber que as coisas vão ficar bem, eventualmente, é um ponto de esperança que nos faz seguir, mesmo nesses dias nublados.

Se você precisar de ajuda profissional, não exite em procurar! Tem feito muito bem para mim e com certeza fará bem há você.

Com carinho,

Sara Pagiossi